quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A ORIGEM DO HOMEM A PARTIR DA LINHAGEM AMÉLIUS


(Figura de Dna Sumério) - Alguma dúvida que os sumérios sabiam o que era um Dna?

Você acha mesmo que nós somos os únicos habitantes do universo?
Engana-se! Não só existem outras inteligências nesse "mundão de Deus", como há também uma raça muito semelhante a Raça Humana, que vive em algum lugar do universo. Trata-se da Linhagem de Amélius, uma classe de seres humanos aprimorados de maior inteligência e que serviu de semente para a criação do homem.
A Linhagem de Amélius é a descendência humana pura do universo, que ainda tem sido preservada a fim de assegurar a pureza de seres humanos e eventuais necessidades de reconstituição, aperfeiçoamento espiritual e genético de nossa raça no futuro. Somos feitos a imagem e semelhança de Amélius, porém, houve uma manipulação genética a fim de que retrocedessemos à linhagem que nos originou.

Uma dessas modificações foi a divisão dos sexos, o que não existe na "Linhagem-Mãe". Não encontrei nenhuma referência bibliográfica que mencione o hermafroditismo ou a androginia em seres de Amélius. Porém, nas civilizações antigas era comum encontrar os hermafroditas ou seres que tinham dois sexos. Esse hermafrodismo é estudado pela Midrash, através do judaísmo, compondo um Adão hermafrodita, considerando que os Adões étnicos eram andróginos bissexuados caracterizados como a imagem dos deuses. Segundo Heródoto, no antigo país habitado por nômades, que ficava nas mediações do Mar Negro existiam os Enaneus, que eram homens com aspecto de mulher, onde viveram Afrodite e Hermafrodite.

No entanto, a divisão dos sexos foi um procedimento posterior a criação do homem. O Evangelho narra a criação da mulher a partir da costela do homem, cuja descrição do texto evangélico nos dá a nítida impressão de um ato cirúrgico. O trecho bíblico abaixo faz referências à anestesia e às técnicas cirúrgicas de extirpação e inserção de tecidos. Um procedimento cirúrgico coroado de êxito realizado por um deus, provavelmente, geneticista que usou um método conceptivo à base da costela do homem.

E Deus fez cair pesado o sono sobre o homem. Com esse adormecido, tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o Senhor Deus tomara do homem, transformou-a em uma mulher. (Gênesis 2:21)

A teoria "idiota" que fomos originados de um coacervado ou pela evolução do macaco (macaco ainda existe, não existe ?) é infantilizada e foi proposital para que coubesse dentro de nossa estúpida ignorância. Sempre houve uma manipulação de conhecimentos mediocres não só na religião como na ciência. (Façam um apanhado de suas memórias de infância, na verdade, fomos orientados pela ciência e pela religião para nos transformarmos em trouxas.

Sem dúvida que há um mistério maior que inclui a intenção da criação do homem, com a elaboração de um plano e posterior ação do mesmo de forma CONSCIENTE. Não somos um mero acaso, nem tão pouco um incidente da natureza, fomos formados por "deuses" que sabiam muito bem o que estavam fazendo.

Digo o plural porque...Porque a Bíblia é bem clara ao citar ao PLURAL:
CRIAMOS O HOMEM CONFORME A NOSSA IMAGEM E SEMELHANÇA. O texto bíblico está no PLURAL. Vai me dizer que está no sentido figurado? ahhh vai contar outra!

Citarei aqui, alguns trechos do meu livro a ser lançado pela Editora Madras. Os Anunnaki, os deuses Astronautas. Porém, não poderei colocar na íntegra por motivos óbvios.

Trecho do meu livro:
Então, em cumprimento ao acordo firmado, Anu enviou uma de suas filhas, Ninhursag, à Terra a fim de contribuir no desenvolvimento da nova raça. Ninhursag era uma brilhante geneticista da casa de Anu, conhecida como a Senhora da Vida devido a seus dotes profissionais em engenharia genética. O trabalho de Ninhursag em seu planeta de origem era prolongar cada vez mais a vida dos Pleyadenses até adquirir a imortalidade. O texto mais fiel em relação a essa informação consta no Épico de Gilgamesh, que narra a história de um rei em busca de sua imortalidade. - “O Guid anna, o Touro do céu.

Eles criaram o homem a partir da linhagem pura de Amélius com o único objetivo de lhes servir como escravos. Eles se cansaram do trabalho árduo nas frentes de extração de ouro e, consternados, resolveram colocar a Marca deles nos hominídeos primitivos existentes sobre a Terra. Épico de Atra Hassis.

Quão bom ou ruim é o corpo de um homem? Conforme meu coração aconselha, eu posso fazer sua sorte boa ou ruim. Textos Mesopotâmicos.

Os Pleyadenses conheciam as façanhas da engenharia genética e passaram esses conhecimentos para os Sumérios. O método de reprodução dos Pleyadenses em seu planeta de origem se dava através da inseminação artificial entre genes de irmãos da realeza, com o melhoramento genético através de processos de hibridações de genes.

Na formação inicial genética do homem foi usado o processo de Partogênese ou Nascimento Virgem. Ninhursag fez os cromossomos de um óvulo dos Humanos de Lira se duplicarem e depois os manteve em soluções adequadas até se tornar um conjunto de cromossomos para se dividir. Através dos processos de replicação organizou um mapa de código genético, o genoma, com diversas possibilidades de criação de um ser humano. Depois, ela fragmentou os genes com enzimas e inseriu através da micro-injeção os genes de répteis e de Anunnaki no genoma que daria origem ao homem. Essa técnica é conhecida hoje em dia pelo nome de Tecnologia Recombinante do ADN.

"

Porém, essa miscelânea de genes originou os Quimeras, as criaturas mistas da mitologia grega, ou Berossus da suméria. Uns possuíam chifres, outros parte dianteira de leão, a parte mediana de cabra e a cauda de um dragão.

Os primeiros hominídeos receberam o nome de Lulus. Segundo textos sumérios, as técnicas genéticas de criação dos Lulus foram usadas até aperfeiçoar o Lulu macho. Ninhursag produziu óvulos artificiais e fertilizou com o material retirado dos Lulus-machos. A seguir, o dividiu em lotes para adquirir características masculinas e femininas. Então, esses óvulos inseminados foram implantados nos úteros das Deusas do Nascimento. O resultado foi em sete machos e sete fêmeas no final de cada processo. No entanto, esses híbridos não eram capazes de se reproduzirem. Por isso tiveram que aperfeiçoar o processo.

A segunda manipulação genética deu a hominídeo- fêmea a capacidade de procriar sem a necessidade de hibridação genética. E o que aconteceu quando criaram as mulheres-lulus? Elas foram feitas tão formosas, que os deuses se apaixonaram por elas. Encantados, eles as desposavam. O livro do profeta

Enoque menciona sobre o relacionamento entre os deuses e as mulheres da Terra, sobre os anjos que desceram do céu e tiveram filhos com elas. A Bíblia reconhece o casamento entre as filhas dos homens e as filhas dos deuses, antes do Dilúvio. Os seis primeiros capítulos de Gênesis e vários livros extrabíblicos como os livros apócrifos, Livros de Enoque, Jubileus e outros registraram o casamento inter-racial dos Nefilins com as terráqueas.

Após Seth matar Osíris, o deus Toth extraiu o sêmen do phalus de Osíris e, com ele, engravidou Isis, a esposa de Osíris, fazendo com que ela gerasse o deus Hórus. Inscrições Egípcias.

Viram os filhos dos deuses que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si todas que escolheram. Genêsis 6:2.

E aconteceu quando os seres da Terra aumentaram em número sobre a Terra. E as filhas eram geradas por eles. Que os filhos de Elohin viram que as filhas de Adão eram compatíveis e eles a desposaram como bem entendessem. Gênesis 6:4.

Naqueles dias estavam os nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses nefilins eram os valentes, os homens de renome, que houve na antigüidade. Gênesis 6:4

Foi necessário haver a compatibilidade de genes das primeiras fêmeas terráqueas com os deuses Pleyadenses, resultando uma população de servos híbridos inteligentes e férteis. Assim, houve o enlace de uma terráquea Dangalnuma, que foi a escolhida para desposar Enlil. A linhagem genética dessa hominídea foi utilizada para cruzar ao longo de sete gerações, herdando novas linhagens que sofreram também hibridações. Dessa forma, começou a história do Jardim do Éden.
Tu és a deusa do nascimento, criadora da espécie humana, cria Lulu para que possa suportar o jugo, faze-o suportar o jugo designado por Enlil, deixe o homem carregar a fadiga dos deuses. Atra-Hassis. Tábua 1,coluna 4, versos 194-197.
Segundo algumas referências bibliográficas, dessas primeiras relações de fecundação execrável nasceram também os filhos gigantes.

Todavia, algo aconteceu. Como a criação do homem aumentava assustadoramente, para que não houvesse uma rebelião bem programada, eles introduziram um apêndice no cérebro humano para que atrofiasse a inteligência humana, a perspicácia e a intuição. Esse apêndice é o Complexo Reptiliano, que é um implante de constituição genético-cerebral diferenciado que foi introduzido no centro do cérebro humano a fim de conter o seu desenvolvimento mental.

Dessa forma, desde o útero materno, o feto já possui o Complexo R ou Complexo-Reptiliano no cérebro, que constitui a parte mais primitiva de sua massa cinzenta. Essa parte réptil do cérebro humano é responsável por todos os instintos humanos como a agressão, defesa, competição e acasalamento. Sendo o principal responsável por comportamentos agressivos, compulsivos, ritualísticos e de senso de posse territorial.

Então, Ninhursag mudou a estrutura do DNA dos Homens-Lulus trabalhando com a regressão temporária de doze para duas hélices de DNA. Assim, ela desconectou as dez fitas do Sistema Endócrino, paralisando parcialmente a produção das glândulas da Pineal, Pituitária e do Hipotálamo, a fim de se atrofiarem. Além de desatar as fitas de DNA, a geneticista colocou implantes retirados do corpo dos répteis nos corpos dos homens, a fim de impedir que as fitas se reagrupassem.

Com a implantação desse Complexo Réptil no cérebro humano houve principalmente o atrofiamento da Glândula Pineal. 
 
Via http://efeito.exillis.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário